quarta-feira, julho 22, 2009

Noite Super Mwangolé - Lançamento do Álbum de Walter Widal
Sesta-Feira dia 24 de Julho é no Mussulo (Lisboa). Lançamento do álbum do Mano Walter Widal. Convidados especiais: PM, D3M e surpresas... Senhora na guest list não paga e o cavalheiro paga menos. Cavalheiro: 12 Euros. Infoline: 96 922 09 56

sábado, julho 18, 2009

Namoro Violento Não é Amor


Faz mais contra a viol~encia doméstica. Ama de Verdade não sejas violent@ com a/o tua/teu namorad@/ espos@.

Sabe mais em http://www.amorverdadeiro.com.pt
Divulga e não sejas violent@, sê carinhos@!

terça-feira, julho 14, 2009

COLECTIVO MIRAGENS TEATRO - LUANDA | ANGOLA presente no Festival de Teatro de Almada


Clique para ver o link directo com informações sobre o Colectivo Miragens Teatro.

O Colectivo Miragens Teatro foi fundado em 1995 na Comunidade Religiosa de São Luís, no Bairro Rangel, e é hoje considerado um dos mais importantes colectivos de criação teatral de Angola.

Não perca a oportunidade de assistir ao trabalho de Teatro deste colectivo angolano.
Toda a informação sobre este excelente festival em ww.ctalmada.pt
Angola Participa nos Jogos da Lusofonia

Aceda à programação aqui

Visite o Site Oficial do Jogos - www.lisboa2009.org, divulgue e participe!

quarta-feira, julho 08, 2009

PM (Poderoso Mensageiro) de volta a Portugal(Foto by Baza Creative)
Olá pessoal, amigo, truta, camarada, soldado, tropa e por além visitantes deste espaço www.hiphopexcentrico.blogspot.com, em especial aos fãs, apreciadores e inspiradores da minha musica e consciência (vocês são cúmplices da minha existência, estimo-vos).

Como já antes tivera escrito neste espaço, eu e os meus criamos este espaço para divulgar informações sobre cultura, educação social, política, memórias, entretenimento, activismo pró mudança e muito mais, mas divulgamos apenas o que nos faz interesse, ou seja do meu interesse e da equipe que colabora comigo para a existênxia deste pequeno e aleatório jornal @nlinet. Prioritariamente divulgamos as minhas actividades e trabalhos como também os de alguns amigos.

Este espaço @nlinet andou uns tempinhos parado devido a minha ausência durante sete meses fora de Portugal, pois encontrava-me em Angola fazendo trabalho de campo. Porém estou de volta a Tuga (arena lusa), a partir de agora mantenham-se atentos pois a saga não para, amizade, musica e activismo social. Paz e amor, luz e calor "humanistikel" para todos.

PM LIRICAL@CTI@N aos 27´Junho´2009 a´s 04:333 d´manhã escrevinhando.
Hiphopexcentrico Backgrounder 2009
"A minha 3ª viagem a Angola - Pós migrado em Portugal- 1ª versão"
Assim começo por relatar o propósito da minha terceira viagem a Angola, porém vou começar por divagar os momentos que vivi na minha segunda viagem a Angola pós migrado em Portugal (risos). Já não me deslocava a terra durante algum tempo, ou seja há um tempinho, pois desde que cá estou migrado fui apenas três vezes a contar com a última. Lembro-me de ter ido pela primeira vez em 2004, na altura em que documentei na minha história como homem de arte, a minha primeira obra discografica de originais aos 25 de Setembro se a memória não me for falível.Quem sou para ter este choro, há quem vive em Portugal a mais de vinte anos e só vê Angola nos seus sonhos, outros ainda pela TV, contos e pela literatura, ou seja, imaginam... eu agredeço a Deus.

O tempo falou por si e cá andei, até que no ano passado de 2008 começei activamente a preparar o meu 2º álbum de originais, por isso desloquei-me a Angola para terminar a obra complilando assim com algumas produções de produtores e músicos que vivem por lá. Na verdade foi também uma especié de respirar mais um pouco a poeira da minha terra mãe e sair desta tensão de choro ocidental, até porque foi nesta altura que conheci um pouco mais da infantilidade que dormia comigo todos os dias junto de muitos intervenientes que fazem parte do movimento rap em Portugal... foi deste mesmo barco de ilusão e de imaturidade que me desliguei, fazendo assim uma linda e bonita viagem as minhas raizes.

No entanto ao estar em Angola, viajei várias vezes para Benguela de carro com o meu irmão e colega Hélvio, o tal puto que lhe chamo o fenómeno da voz do Semba (um dos ritmos mais conhecidos dos vários tradicionais existentes em Angola) da nova geração, mas como eu, também bebe vinho, cerveja e tem uns rastas por fazer (risos). Com seu carrinho Getz modesto da Hyundai que nos levava de Luanda á Benguela e de volta a Luanda nos trazia, Luanda a capital de Angola, terra das oportunidades onde muitos "provincianos" encontram vencimentos gordos de esperança de verem o sucesso das suas hablidades e dons serem reconhecidos pela nação e daí a internacionalização. Okey! Lá iamos com umas birras e carne de caça assada que pelo caminho parando encontravamos com as Kotas que paiavam estes mambos (Senhoras mais velhas que vendiam estas coisas) para os camionistas, taxistas e passsageiros que faziam aquela rota (risos). Obs: Porém, não é um bom exemplo andares a conduzir e ir bebendo alcool pelo caminho.

Na felicidade das nossas viagens, um dia destes andei pelos bairros da província de Benguela a ver o que tinha mudado para melhor ou o que tinha sido destruido... Encontrei muitas coisas boas mas também encontrei outras coisas más... passando a frente, pensei que havia ainda muitas mais coisas para se fazer, o que se perdeu visonei uma reposição mais actualizada. Para além dos bairros que visitei, o meu plano foi visitar ainda mais para tirar conclusões e ver viva de perto a realidade de que as pessoas falam e vivem, porque da cidade "sei" eu e já tinha visto quase tudo, neste andar visitei também alguns lares socias, enfim.... Encontrei uns com melhores condições e outros com fortes necessidades de apoio.

No entanto pus-me na conversa com um vizinho meu sobre o assunto e sobre valores morais, culturais, acção social, e nesta ele disse-me que dava formação como voluntário num lar social e que este se chamava "Aldeia de crianças SOS", daí combinamos visitar esta aldeia algum dia, chegando então ao dia, até acordei um pouco mais cedo e ressacado pela noite de ontem que me tinha levado num arrastão júvenil duma forte tibaria (Beber alcóol relativamente fora do estímulo normal que se aconselha) de cervejas Carlsberg e de Cuca em lata, mas com prudência tive de honrar o compromisso que assumi em fazer aquela visita.

Foi uma experiência muito interessante, pois deparei-me com uma organização fora do comum, comparando com os lares que visitei antes... Pensei então que em vez de preocupar-me em ter mais um álbum de originais no mercado, porquê não deixar-me levar pelo coração e consciência? Priorizei assim o meu dom, emprestando-o a um projecto musical que tivesse dois sensos: um musico- cultural, educacional e outro de sensiblização a acção social. Nestas duas visões, precisei apenas de saber como fazer o projecto, depois saber se valia pena pregar estes ambientes numa sociedade tendenciosa pela cegueira social e agarrada as vicissitudes do capitalismo selvagem. Pensei, como divulgarei esta obra para despertar a consciência das pessoas para se criarem mais lares com a mesma estrutura organizativa tal como a aldeia acima mencionada e sobretudo alertar a concsiencia do cidadão civil a comungar comigo contribuindo neste projecto?

No entanto procurei arranjar condições financeiras para criar então a obra onde participacem vários musicos e com diversos ritmos, mas para isto precisava-se de interesses comuns entre os convidados ou uma boa verba para custiar os estudios e musicos convidados, batendo assim inúmeras portas, desde instituições estatais e privadas, mas estas portas estavam todas bem fechadas, nada consegui para tal ambiente, na altura até saiu-me um "foda-se, se fosse para apoiarem concursos de miss eram os primeiros, mas para causas essencialmente importantes e prioritarias até fingem não saber de nada"... Mas com ajuda de uma pessoa em especial, sem igual, amiga e com muito bom coração consegui então criar um projecto estruturalmente solído, com tudo para ter visiblidade, grande dimensão e que chamasse a atenção de todos os angolanos sem excepção de idades ou escalões sociais.

Regressei então da minha segunda viagem a Angola pós migrado em Portugal (risos), no dia 1 de Junho de 2008, a correria foi produzir o projecto e regressar de novo para Angola já com o projecto feito para então entrar em actividade, regressei então no dia 13 de Setembro. Para mim não importava tanto as baixas que pudesse ter na divulgação e nos resultados não muito ricos... O mais importante foi o que ainda acho, o projecto teve a nota 100% depois de olhar para alegria e sorriso daquelas crianças quando os visitei e falei-lhes do projecto até ao dia da primeira entrega. Assim foi um pouco da minha história e do porquê ter feito esta "Minha 3ª viagem a Angola- Pós migrado em Portugal".

Para mais inf@s acompanhem-me apoiando este projecto, pois ele é contínuo... Paz, amor e MwAngolAvante.

Texto por: PM (Poderoso Mensageiro)- rapper
Hiphopexcentrico backgrounder: aos 21 de Junho de 2009
Jornalista Miguel Neto em Los Angeles - USA
Directamente do próprio, reproduzimos a mensagem Alto Nível de Miguel Neto:

O apresentador angolano Miguel Neto deslocou-se de emergencia a cidade de Los Angeles para constatar também o ambiente que se vive à volta das exequias funebres de Michael Jackson.

Tendo deixado Angola na noite do dia 3 de Julho, Miguel Neto que escalou Lisboa, chegou a Los Angeles as 22 horas locais (6h em Angola) sob fortes foguetes e lancamento de fogo de artificio que assinalaram as comemoracoes de mais um aniversario dos Estados Unidos, a 4 de Julho.

À sua chegada a Los Angeles, o apresentador deslocou-se até Hollywood onde depositou também a sua coroa de flores na estrela de Michael Jackson.

Nivel
PM (Poderoso Mensageiro) rapper angolano em acção social (2008/2009)

O rapper angolano
PM (Poderoso Mensageiro) reside em Portugal há quase uma decáda, esteve em Angola durante o mês de Outubro de 2008 até ao primeiro trimestre de 2009 em trabalho social. Firme e de coração aberto, o rapper deslocou-se a Angola para promover um projecto musical com vertente social titulado R.A.P. (Realidade, Amizade, Prosperidade), cujo o objectivo fulcral foi de despertrar e de sensiblizar a consciência social ao amor ao proximo como desenvolvimento, divulgar a existência de Aldeias de crianças SOS em Angola, a forma bonita e organizada como trabalham, e parte das vendas deste projecto musical reverteu em forma de material didático e cultural para um dos projectos, a Aldeia de Crianças SOS na provìncia de Benguela em Angola.

Porém, o rapper angolano que já é conhecido por muitos apreciadores da cultura Hip Hop dentro do ciclo Palop e por além, pela sua veia independente e impulsionador da cultura acima mencionada, criador de vários projectos com o fim social, utilizou mais uma vez a sua poesia e musicalidade para chamar a atenção das pessoas ao amor ao próximo e mais, no conteúdo da sua música propôs a reposição de alguns dos valores cívicos, etícos, morais, sociais, culturais e sobretudo humanos que o povo angolano veio perdendo durante os largos anos que esteve em guerra e que ainda se faz sentir nos dias hoje...

PM levou como mensagem para a consciência dos seus irmãos angolanos, que para se atingir o progresso de qualidade de vida esperado por todos angolanos, a sinceridade, clareza e intervenção de todo angolano independentemente da intervenção do estado, é indispensável.
Educação e cultura: Crítica ao livro ´A sarrabulhada de Miguel Neto ´ Livro da autoria de Miguel Neto (Jornalista e entertainner Angolano)

Consulte a nota ao final deste texto.

De uma forma geral, apreciei a forma como o autor do livro enfatiza os valores que a sociedade angolana deverá resgatar para que se possa ter e sentir enquanto enquanto uma nação.

Gosto particularmente do incentivo que dá aos jovens no que toca ao prosseguimento de estudos, empreendorismo e no que toca a solidariedade e amor ao próximo.

Faz críticas veladas a uma franja da sociedade angolana que se pauta pelo despezismo e futilidade, estas foram tão bem concebidas e descritas que consegui rever um conhecido Zé ou uma conhecida Maria, porém sinto que muito do que pelo o autor foi criticado é muitas vezes nos seus programas seja de rádio como de tv incutido aos ouvintes/telespectadores como algo aceitável, o que na minha opinião transmite uma certa contradição. O autor critica determinados comportamentos no livro e incita os mesmos nos seus programas. É o caso do artigo "A má língua tem os dias Contados". Neste artigo, o autor desfere vários golpes aos tidos como fofoqueiros mas o certo é que quem segue os seus programas sente que o mesmo destila e exalta várias anonimosidades entre determinados artistas. Tal como no artigo "Que Jovens teremos futuramente?" o autor rejeita o comportamento lascivo e agressivo dos jovens integrantes da cultura Hip Hop, porém todos temos conhecimento que o Nível do Neto prima por ser Padrinho do Beef.

Os artigos que mais me suscitaram interesse foram: "Solidariedade, afinal é possível","Ir á Luta por meios próprios", "Valores Morais precisam-se", "O Hábito pela Leitura activa os Bons Costumes". Porque mais do que criticar o que não temos feito, dá-nos a conhecer todo um mundo que já foi uma realidade entre nós mas que por agora se encontra adormecido.Concede-nos Angola enquanto Povo, sentindo e cuidando do seu Povo e não enquanto terra da fortuna sofrívelmente fácil. Há uma grande preocupação em passar um legado de companheirismo, de amizade e união.

O livro no seu todo apresenta indícios de uma positividade inteligente, reflectiva e não a típica positividade que serve para nos consolar, conformar ou mesmo aplacar. Também senti que o autor teve o cuidado de não sacudir somente a culpa de se ter construído um império de faltas, falta de amor, falta de respeito, falta de justiça, falta de humildade, etc nos tempos idos de guerra civil, da mesma forma que me identifiquei com a vontade do autor em dar a conhecer o sentimento predominante na diáspora.

Para terminar, devo apenas acrescentar que este é um daqueles livros que deveria ser lido pelos mais velhos aos mais novos... no Onjango. Porquê? Para renovar o espírito da passagem de valores de geração a geração.

Por: Telma Tvon aka TL (rapper)
Outros dados: Profissão; Funcionária pública,
Grau académico; licenciatura em "Estudos africanos"
Hiphopexcentrico backgrounder: Lisboa/Portugal aos; /06/2009


NOTA: Quando encontramos a palavra "crítica" tendemos a considerar apenas a sua carga negativa. De facto, existe a crítica num sentido de "Apreciação", apreciação de uma dada obra ou actividade. É importante sublinhar que a palavra "crítica" não pode nunca ser compreendida apenas como algo negativo; a crítica pode ser positiva ou negativa. A crítica literária é uma apreciação do trabalho do autor. FIM DE NOTA.